Colégio Ressurreição (Unidade Taquara)
Taquara
Rio de Janeiro - RJ
(21) 2446-7718
Você está aqui: Notícias

Notícias

Imprimir Diminuir a Fonte Aumentar a Fonte 18/04/2018 - Colégio Veritas (Unidade Jardim São Paulo)

DOENÇAS INFECCIOSAS - SÍNDROME MÃO-PÉ-BOA (SMPB)

"A síndrome mão-pé-boca (SMPB), também chamada de doença mão-pé-boca, é uma infecção viral contagiosa muito comum em crianças, que é caracterizada por pequenas feridas na cavidade oral e erupções nas mãos e nos pés. Na maioria dos casos, uma doença branda e benigna, que desaparece espontaneamente após alguns dias sem causar nenhum tipo de complicação. O maior problema costuma ser o risco de desidratação, pois a dor de garganta pode fazer com que a criança pare de aceitar alimentos e líquidos.De todas as principais causas de exantemas febris (febre + manchas vermelhas na pele), a doença mão-pé-boca é uma das mais fáceis de ser diagnosticada, devido ao seu típico envolvimento da mucosa oral, solas dos pés e palmas das mãos.

TRANSMISSÃO DA SÍNDROME MÃO-PÉ-BOCA

O vírus que causam a doença mão-pé-boca podem ser transmitidos por contato com secreções das vias respiratórias, secreções das feridas das mãos ou dos pés e pelo contato com fezes dos pacientes infectados. Isso significa que o Vírus Coxsackie (e os outros vírus causadores da SMPB) podem ser transmitidos nas seguintes situações:

• Beijar alguém infectado.
• Ter contato com secreções respiratórias, geralmente através da tosse ou espirro.
• Beber água contaminada.
• Apertar a mão de alguém contaminado.
• Ingerir alimentos preparados por alguém infectado, que não tenha feito a higienização adequada das mãos.
• Contato com brinquedos ou objetos que possam ter sido contaminados por mãos sujas.
• Contato com roupas contaminadas.
• Trocar fraldas de crianças contaminadas.

Geralmente, a fase de maior contágio da síndrome mão-pé-boca é durante a primeira semana de doença. Porém, mesmo após a cura, o paciente pode permanecer eliminando o vírus nas fezes, o que o mantém contagioso durante dias ou até semanas depois dos sintomas terem desaparecidos. A maioria dos adultos que se contamina com o Vírus Coxsackie não desenvolve sintomas, mas eles podem ser transmissores assintomáticos do vírus.

PREVENÇÃO DA SÍNDROME MÃO-PÉ-BOCA

Pessoas contaminadas devem ficar em casa. Crianças não devem ir à creche ou à escola, e adultos devem faltar o trabalho até todos os sintomas terem desaparecidos. Como o vírus ainda pode ser eliminado nas fezes mesmo após a cura dos sintomas, é importante orientar o paciente a lavar as mãos com frequência, principalmente após ir ao banheiro e antes de manusear comida. Nas creches, é preciso ter muito cuidado com a higiene das mãos na hora de trocar as fraldas, para que os profissionais não transmitam o vírus de uma criança pra outra. Roupas comuns e roupas de cama podem ser fontes de contágio (principalmente se houver secreção das lesões da pele) e devem ser trocadas e lavadas diariamente. Brinquedos também devem ser lavados com frequência. Ainda não existe vacina contra a doença mão-pé-boca, mas há estudos muito avançados e promissores em curso."

https://www.mdsaude.com/2015/07/sindrome-mao-pe-boca.html

Veritas / VespeR
Direção/Coordenação
18/04/2018